Como se sair bem em entrevista de emprego em tempos difíceis

Infelizmente, as notícias de que o desemprego tem crescido nos chegam todos os dias e alguns especialistas acreditam que a situação irá se agravar nos próximos meses. Porém, isso não é motivo para que, se estiver pensando em mudar de emprego, desista de seu sonho. E as empresas continuarão a contratar, mesmo que menos funcionários, ou no caso de recolocação de alguém demitido, não irão parar!

O que irá acontecer é que a candidatura terá mais concorrentes. Lembre-se, todos profissionais já passaram por esta situação: busca de uma recolocação no mercado de trabalho e a entrevista com o recrutador. E é aí que precisa ter estrutura emocional para levar a entrevista a um resultado favorável. A empresa contrata pelas competências técnicas e demite por falhas em competências emocionais. Então, como interagir entre estes dois fatores e ter um resultado positivo?

A primeira coisa é se preparar para a entrevista - é extremamente importante no mundo corporativo ter uma boa visão da empresa para a qual o profissional pretende se candidatar. Hoje, isto não apresenta nenhuma dificuldade porque todas as informações iniciais o potencial candidato encontra na Internet.

Mas, o que eu acho mais importante não são as competências técnicas, mas, sim. as emocionais. Como o candidato se comporta durante a entrevista – podem ser pequenos sinais, um cruzar de braços, a maneira de se sentar, a forma de cumprimentar, de piscar os olhos etc.

Algumas dicas:

1 – estado emocional – não adianta ficar nervoso e/ou ansioso porque isto transparece para o entrevistador. É preciso aprender a administrar a ansiedade, que é normal, só que algumas pessoas sabem administrá-la e outras não.

2 – autoconhecimento – todos temos que saber quais são as nossas competências e qual a melhor maneira de expô-las para que o entrevistador perceba nosso valor profissional. Na realidade, sabemos o que somos e quais as nossas melhores competências, então, por que não expô-las?

3 – domínio de idiomas - saber outras línguas é importante, mas conhecer a língua nativa é fundamental, independente da carreira. Não é necessário ser um grande escritor, apenas saber escrever corretamente e expor as ideias de maneira clara e concisa. Uma dica é sempre ler.

4 – multicultural idade - conhecer outras línguas e culturas é cada vez mais importante, afinal atualmente é possível encontrar dentro de uma única empresa, o chefe de um país, o gerente de outro e o colega ao lado idem.

5 – vestimenta – formal, ou seja, dependendo da vaga não há necessidade de total formalidade, ou seja, paletó e gravata ou um tailleur. Mas, sempre tem que ser discreto, a roupa não pode ser transparente, calça jeans ou camiseta, por exemplo. Na realidade, a roupa, assim como seu comportamento, diz quem você é.

6 – competências importantes - extremamente importante, no mundo corporativo ter uma boa visão da empresa e é de fundamental importância ter a capacidade de planejar, organizar e gerenciar novos projetos, determinar prazos, metas e fazer com que sejam cumpridos.

7 – comportamento: esta característica é muito importante e poucos dão o seu devido valor, apesar das empresas estarem diferentes e mais flexíveis, não significa que você possa se comportar de qualquer maneira. É importante observar o contexto e aprender sobre como se comportar, qual a roupa mais apropriada, como falar e assim por diante.

Procure não ficar “fechado” apenas à sua função, busque compreender o ambiente e procure aumentar seu conhecimento sobre outras atividades que podem lhe auxiliar futuramente. E, mais do que tudo, deixe transparecer qual é a sua marca, o seu diferencial e porque a empresa deve contratá-lo. Boa sorte!

  

Tags: crise, dica, emprego, entrevista, Stefi Maerker

voltar para Artigos

left show tsN fwR uppercase bsd b01s|left fwR tsN uppercase b01s bsd|left fwR tsN uppercase bsd b01s show|bnull||image-wrap|news uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase|b01 c05 bsd|login news fwR b01 bsd uppercase|tsN fwR uppercase|fwR b01 bsd normalcase|content-inner||