Cuidado ao usar as redes sociais

Vivemos um momento econômico muito singular em que as empresas mudam constantemente, disponibilizando profissionais, trocando de foco, sendo vendidas ou incorporando outras companhias. Isto faz com que muitos profissionais coloquem os seus currículos à disposição do mercado e hoje isto é feito através das mídias sociais.

 

E, cada vez mais, as empresas também buscam futuros candidatos nas redes sociais, divulgando vagas ou buscando diretamente os candidatos pelas informações contidas nos currículos. Então, este é o momento de pensarmos em como agir e quais as informações que queremos disponibilizar para conseguir um novo desafio ou trocar de emprego.

 

Porém, quero chamar a atenção para que todos tenham muito cuidado com o que postam em redes sociais como Facebook e Twitter, principalmente. Isso porque as empresas também estão pesquisando nestes meios os perfis dos candidatos a uma vaga.

 

Sim, seu perfil é pessoal, mas como está nas redes sociais, acaba se tornando público, ou seja, qualquer pessoa pode acessá-lo e ver o que você posta.

 

Assim, eu aconselho que faça uma análise fria do seu perfil, fotos compartilhadas e comunidades onde interage. Seu posicionamento pessoal é muito importante. Portanto,  comunidades como “Eu odeio trabalhar” ou fotos do churrasco de fim de semana no qual aparece bêbado ou usando biquíni ou sunga, devem ser retiradas, ou melhor, nem colocadas!

 

Cuidado com frases de ódio, preconceito ou qualquer coisa que possa denegrir alguém, mesmo que você ache que seja uma piada. Isso também não deve fazer parte dos seus comentários. Seu perfil pessoal é tão importante quanto o profissional.

 

Lembre-se do caso da executiva Justine Sacco, diretora de comunicação da InterActive Corp, que em 2013 foi demitida após fazer uma piada sobre a África em seu perfil no Twitter quando embarcava no avião. "Indo para a África. Espero não contrair AIDS. Brincadeira. Sou branca!". Ao desembarcar, Justine apagou a mensagem e sua conta no Twitter, mas o estrago já estava feito. Um de seus seguidores enviou o texto para um famoso site que repercutiu a frase.

 

A executiva se desculpou, mas de nada adiantou. Desde então perdeu emprego, amigos e dizem que caiu em uma depressão. O pior, seu nome sempre aparecerá na web ligado a esse acontecimento. Pode parecer que a reação dos internautas foi exagerada, sim, pois a Internet se tornou um campo minado, onde as pessoas são julgadas o tempo todo, para o bem e para o mal. Portanto, novamente, muito cuidado com o que posta nas redes sociais. Citei um caso, mas são muitos.

 

Assim, use as redes para construir sua imagem pessoal – o que você é, do que gosta, o que o torna especial e diferenciado. Uma forma de fazer isto é citar seus objetivos, seus sucessos, seus projetos que deram certo e funções nas quais você recebeu reconhecimento dos seus superiores.

 

Mas, como fazer isto para que seja seguro e, principalmente, traga retorno, ou seja, uma empresa se interesse e entre em contato para que participe de um processo seletivo?

 

Algumas dicas para ter bons resultados:

 

Qual é a sua marca?

O que você faz bem? O que o diferencia, qual a imagem que as pessoas com as quais você convive têm de você?

 

Seu conteúdo relevante?

Quando um recrutador busca sua fonte nas mídias sociais ele também procura outras informações para descobrir se não há algo constrangedor a seu respeito. Então, cuidado com as informações particulares, aquelas que nada têm a ver com a vida corporativa. É preciso construir uma imagem pessoal que possa se tornar um referencial no mercado.

 

Outra coisa é citar sua formação – onde foi feita, se tiver algum prêmio este é o momento de citá-lo, se tem pós-graduação, experiência internacional etc.

 

Gostaria de ressaltar que quando falamos de trabalho queremos saber do resultado que ele trouxe, portanto não basta citar desafios, é preciso citar os resultados também.

 

Outra coisa que é muito importante, sua aparência, o impacto que ela causa para as pessoas que recrutam os possíveis candidatos. Então a sugestão que posso dar é que a foto seja extremamente formal, não fazendo ginástica, ou em roupa de gala ou muito esportiva, ou andando a cavalo etc. Já vi um currículo com foto de uma profissional em traje de gala com um profundo decote. Em seguida me veio o pensamento – o que ela busca, uma nova colocação ou um programa? Pode parecer muito duro ter uma impressão assim, mas o profissional de R&S está preparado para avaliar as pessoas nos menores detalhes.

 

E, finalmente – seja criativo – crie um e-mail com um link sobre um conteúdo interessante produzido por você ou, até mesmo, seu LinkedIn, algo que possa lhe render uma entrevista. E, claro, boa sorte.

 

http://www.abrhbrasil.org.br/cms/materias/artigos/cuidado-ao-usar-as-redes-sociais-pois-todos-estao-vendo-voce-inclusive-o-empregador/

http://www.gestaoerh.com.br/site/noticias/?id=2742

 

 

Tags: emprego, facebook, imagem, linkedin, redes sociais, Stefi Maerker

voltar para Artigos

left show tsN fwR uppercase bsd b01s|left fwR tsN uppercase b01s bsd|left fwR tsN uppercase bsd b01s show|bnull||image-wrap|news uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase|b01 c05 bsd|login news fwR b01 bsd uppercase|tsN fwR uppercase|fwR b01 bsd normalcase|content-inner||