Porque hoje é Sexta-Feira - 08/07/2016

 

Olá,

Hoje compartilho mais um artigo que esclarece que as contratações são feitas por competências técnicas e as demissões por competências emocionais ou a falta delas.

 

 Admissões acontecem pelo QI e demissões pelo QE 

Estudos apontam: cerca de 80% das demissões no mundo corporativo são causadas por problemas comportamentais e pela falta de inteligência emocional. Fique de olho nas suas emoções!

A inteligência emocional está sendo cada vez mais ponderada pelas organizações no momento de uma contratação e demissão. Mais do que a capacidade técnica dos profissionais, há uma demanda crescente por qualidades comportamentais. Afinal, já é de conhecimento geral, por experiências próprias, que problemas de relacionamento podem levar a improdutividade dentro de uma companhia.

Em um momento em que as pessoas ainda jovens têm acesso a capacitação técnica avançada como MBA, doutorado, especialização, há também um caso clássico de falta de embasamento emocional, ou seja, falta de experiência de vida. “Hoje, as empresas e instituições de ensino estão começando a trazer cursos de formação de valores e conduta para nortear estas pessoas, que muito cedo buscam qualificações sofisticadas, mas que na verdade quando colocadas em cena têm dificuldade de interagir e colocar em prática inclusive o lado técnico por uma limitação emocional”, defende a consultora especializada em coaching, Waleska Farias.

De acordo com a profissional, cerca de 80% das demissões de pessoas atendidas por ela em coaching, são causadas por problemas comportamentais - tanto de gestores quanto de colaboradores. A dificuldade das pessoas de lidar umas com as outras, flexibilizar, baixa resiliência, dificuldade de receber feedback e de aceitar um ponto de vista diferente, acaba gerando conflito no ambiente de trabalho. Para combater estes problemas organizacionais, a melhor saída é “orientação para que as pessoas se autodesenvolvam. Isso se refere a autoconhecimento, autogestão dos seus sentimentos e emoções, a própria automotivação – autonomia para você ser dependente para traçar a sua meta de vida e os seus objetivos de carreira.

Existem cinco competências principais para o desenvolvimento da inteligência emocional. São elas:

  • Auto percepção -  capacidade da pessoa conhecer a si própria, em termos de seus comportamentos frente às situações de sua vida social e profissional, além do relacionamento consigo mesmo.
  • Autocontrole -  capacidade de gerir as próprias emoções, seu estado de espírito e seu bom humor.
  • Automotivação - capacidade de motivar a si mesmo e realizar as tarefas e ações necessárias para alcançar seus objetivos, independente das circunstâncias.
  • Empatia - habilidade de comunicação interpessoal de forma espontânea e não verbal, e de harmonizar-se com as pessoas.
  • Práticas sociais - capacidade de relacionamento interpessoal e de trabalho em equipe.

Garantir o equilíbrio emocional e o desenvolvimento requer, portanto, um reconhecimento das emoções em si mesmo e nos outros, seguido de uma compreensão das emoções. Isto permitirá que você controle as emoções e as use em favor de seus próprios objetivos.

 Bibliografia: O Valor da Inteligência Emocional nas Organizações Inteligentes. Disponível online em 18/10/2010.

 

E vocês, sabem e conseguem controlar suas emoções? Conseguem utilizá-las positivamente? Sabem conviver com as pessoas? Sabem resolver seus problemas?

 Eu digo que ser bom quando tudo vai bem é fácil, mas, ser ótimo quando as coisas não são tão boas é a possibilidade de demonstrar seu valor e sua capacidade de vencer.

 Afinal, queremos ou não nos destacar? Se a resposta for positiva esta seria a oportunidade...

 Abraços e até a próxima semana.

 STEFI MAERKER 

 

 

 

voltar para Artigos

left show tsN fwR uppercase bsd b01s|left fwR tsN uppercase b01s bsd|left fwR tsN uppercase bsd b01s show|bnull||image-wrap|news uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase|b01 c05 bsd|login news fwR b01 bsd uppercase|tsN fwR uppercase|fwR b01 bsd normalcase|content-inner||